Até o momento acredita-se que ainda haverá dois livros para a conclusão da série As Crônicas de Gelo e Fogo. Os títulos, com tradução livre, são: Ventos de Inverno (The Winds of Winter) e Um Sonho de Primavera (A Dream of Spring). Obviamente nenhum deles tem ainda data de previsão e, embora a série tenha seguido rumos diferentes para muitos personagens, seus criadores declaram que a conclusão da história deve ser a mesma.

As especulações a seguir são baseadas nas leituras dos livros e nos eventos da série, que possivelmente têm influência também…

CONTÉM SPOILERS DOS LIVROS

 

NA MURALHA– JON/MELISSANDRE


Onde a história parou…

Importante lembrar qual o contexto de Jon Snow nos livros. Da mesma forma que na série, Jon se torna o Comandante da Patrulha da Noite e faz algumas medidas de paz com os selvagens. Jon não foi até Hardhome, mas o massacre aconteceu e possivelmente foi relatado pelos selvagens presos. A Patrulha da Noite também sofreu um ataque no Punho dos Primeiros Homens, que foi simplificado na série, mas que se tornou claro a eles a ameaça dos white walkers (WW).

Jon decide permitir que os selvagens passem pela Muralha e ocupem terras desabitadas no Norte. Ele ainda coloca alguns selvagens como membros da Patrulha da Noite, o que gera mais desavença entre eles. Mance Ryder está vivo e quem morreu em seu lugar foi Camisa de Cocalho, que estava com um “glamour” da Melissandre que o fazia ser visto como Mance. Jon acaba descobrindo sobre o casamento de Ramsey com Arya e envia Mance e suas esposas ao seu resgate. Sabemos que na verdade a menina é Jeane Poole. Jon executa Janos Slynt por insubordinação gerando mais desavenças ainda na Patrulha.

Jon, então, recebe a tal carta rosa enviada por Ramsey avisando que prendeu Mance e esfolou suas esposas. Ramsey pede que Jon devolva sua esposa e Fedor, que a auxilou a escapar. Ramsey diz que matou Stannis e pede para que envie Melissandre, Selyse e Shireen, que estão na Muralha. Diante das ameaças de Ramsey, Jon decide ir contra Ramsey, mas acaba sendo esfaqueado e morto pelos membros da Patrulha, assim como na série.

Sansa ainda se encontra no Vale, envolvida em questões políticas e manipulações do Mindinho. Davos foi enviado a Skagos a mando dos Manderly para um possível resgate de Rickon Stark, que estaria lá. Embora Ramsey tenha falado que matou Stannis, ele aparece e seu exército está em condições complicadas com o frio. Contudo, uma investida a Winterfell ainda é parte de seus planos. Theon, Jeane e Asha Greyjoy estão sob custódia de Stannis.

 

Como pode continuar…

Importante ressaltar que nos livros não temos uma Melissandre arrependida e desiludida, pelo contrário, ela tem seus poderes ampliados com a proximidade da muralha. Melissandre sente que existe poder em Jon, mas ele se recusa a aceitar seus avisos. Ela inclusive o aconselhou a andar sempre com seu lobo, que poderia ter protegido de sua morte. Jon não acredita e acaba morrendo. Possivelmente ela trará Jon a vida como na série, mas motivada por si e não com influência de Davos, que nem está ali.

Sabemos que o sacrifício de Shireen é um fato dito por Martin e de alguma forma Melissandre poderia sacrificá-la para trazer Jon a vida novamente. Selyse, que é bastante fanática, concordaria e acabaria morrendo de culpa novamente. Essa ação, contudo, não traria bons olhos à Melissandre ou mesmo à volta de Jon, sendo assim, a morte da menina pode acontecer em outro contexto.

Teríamos um Jon revivido em uma situação diferente. Melissandre possivelmente usaria disso em seu favor, talvez para ganhar fiéis ao Deus Vermelho ou seria talvez uma redenção da personagem, que entenderia que a ameça dos outros é maior que tudo.

Jon retornaria com a vontade de continuar o pretendia antes de morrer: investir contra Ramsey.  Melissandre talvez o influenciaria mais as visões que teve. Ao contrário da série, Jon deveria respeitar mais ela e talvez o Deus Vermelho. Beric quando foi trazido de volta se tornou um adepto ao Deus Vermelho e Jon, na série, ignorou esse fato. Dessa forma, nos livros faria mais sentido Jon acreditar mais no poder de Melissandre e do Deus Vermelho. Martin a colocou com ponto de vista no quinto livro por alguma razão, ou seja, a personagem tem importância.

Como não houve a ajuda de Jon aos selvagens em Hardhome, a motivação de apoio dos selvagens poderia ser outra: libertar Mance. Contudo, houve a permissão da passagem através da Muralha por Jon e isso pode ser um motivo bem forte a apoiarem Jon.

Porém, sendo um bastardo e com selvagens ao seu lado, possivelmente Jon não conseguiria o apoio das casas nortenhas, mesmo que o lema “O Norte se lembra” seja muito mais forte nos livros. Além disso, ainda teria ao seu lado uma sacerdotisa vermelha, que não é bem vista no Norte. Parte das recusas que Stannis recebeu de apoio no Norte foram por causa da religião de Melissandre.

Poderíamos ter um Jon mais ativo e cruel quando renascido, o que parece mais interessante na trajetória do personagem. Nos livros Jon tem uma personalidade mais “má” do que o da série.

Importante lembrar que há o conceito de que Beric fala quando é renascido. Ele alega a cada vez retorna com menos pedaços de si. Outro caso de transformação de personalidade no renascimento com fogo é a Senhora Coração de Pedra. Dessa maneira, seria muito aceitável que Jon sofresse alguma transformação.

O fato que apoiaria Jon em números contra Ramsey seria talvez a chegada de Davos com Rickon Stark e os Manderly. Talvez outras casas nortenhas como os Umber estejam unidos a essa trama dos Manderly. Mesmo que Rickon tenha talvez ficado lado selvagem, ele apoiaria a causa como vingança e sua presença uniria as casas do Norte contra Ramsey. Jon traria os selvagens e ele outras casas do Norte.

Nesse ponto talvez Stannis já deveria estar morto por Ramsey, pois Davos foi até Porto Branco conseguir apoio a ele. É preciso de alguma motivação para que ele se unam a Jon. Talvez com Rickon ao seu lado, o jovem obrigaria os Manderly a se unirem aos selvagens e Jon.

Asha Greyjoy conseguiria de alguma forma libertar Theon e Jeane. Possivelmente sua iniciativa de Stannis não queimar, mas decapitar Theon seria parte de algum plano. Ela e Theon iriam para Pyke formando talvez uma oposição a Euron ou mesmo criem uma força Greyjoy independente.

Os Bolton teriam o apoio de pelo menos dos Karstarks, que ainda estão ressentidos pela ação de Rob. Outros nobres talvez não apoiariam Jon e Rickon pela união com selvagens ou mesmo com Melissandre. Jon é bastardo e muitos poderiam duvidar de Rickon ser verdadeiro, pois acreditam que ele foi morto por Theon em Winterfell. Os Bolton devem usar isso como discurso para o convencimento das Casas Nortenhas devem conseguir apoio que equilibrariam a batalha.

A Batalha dos Bastardos ocorreria como na série. O resultado final seria o mesmo com Sansa e o Vale chegando na hora H. Além de salvar a todos, seria um reencontro de Starks naquele momento.

Rickon tem dois caminhos. Talvez seu fim seja o mesmo da série e ele acabaria morto na batalha. Sua presença, sendo o herdeiro homem, comprometeria Jon Rei do Norte ou mesmo Sansa no poder. Uma segunda opção, mais interessante, seja talvez Rickon ser o Protetor do Norte por direito. Ele, contudo, acabaria se tornando um líder ruim e cruel. Martin adora essas ironias e teríamos um Protetor do Norte mais na linha Joffrey.

EM BREVE MAIS TEORIAS…

COMPRE OS LIVROS E BLURAYS DE GAME OF THRONES NA SARAIVA

 

banner oraculo dos livros

Anúncios